domingo, 24 de junho de 2012

O Perigo do Dinheiro e do Consumismo



Hoje vivemos em mundo capitalista, onde tudo é movido através da compra, só que muitas vezes não paramos para pensar em nossas prioridades e acabamos nos esquecendo de coisas importantes e necessárias, como por exemplo, da nossa família ou até mesmo de Deus. Não existe nenhum mal em desejar e adquirir bens com o resultado de nosso trabalho, porém precisamos aprender a estar satisfeitos em toda e qualquer situação, o que é bem difícil, pois somos “bombardeados” de propagandas que visam o consumo e acúmulo de bens e que nos torna em uma sociedade pela qual julga o valor da pessoa pelos bens ou pela “quantidade de zeros” que a pessoa tem na conta bancária. Existem muitas coisas que compramos que são desnecessárias, porém elas parecem ter mais importância do que colaborar com uma oferta ou um dízimo para a igreja. Existem muitas igrejas sensacionalistas onde vemos claramente o evangelho corrompido, da falsa prosperidade, onde o dinheiro é o que vale, onde o dinheiro toma o lugar de Deus e isso é errado. O nome oferta já diz tudo, é algo que é dado de coração, pois muitas igrejas dependem dessa ajuda para pagar as contas e algumas não é nem suficiente para pagá-las. Muitas pessoas tem uma imagem errada dos evangélicos, protestantes ou crentes (como muitos falam) por causa desses escândalos que vemos nos noticiários, tudo culpa da ambição que o dinheiro causa nas pessoas. O dinheiro pode destruir o caráter de uma pessoa, causar vários problemas, quando não é utilizado de uma maneira adequada.

Esse exemplo é um dos vários exemplos do uso destrutivo do dinheiro, parece estar tudo bem, mas na verdade não está, pois a vida espiritual e a comunhão com Deus é o que importa.  Portanto, redefina suas prioridades e use seu dinheiro com sabedoria, não se esqueça do amor, pois é a principal qualidade de  um cristão.

[...] pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos. Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos. (1 Timóteo 6:7-10)